Textos


Veias do Ipiranga

Foram-se as margens plácidas!
Corre esgoto nas veias do Ipiranga.
Triste insânia dos desmandos
das escórias feéricas.
O tempo escorre e pouco muda.

O que faltou à tua História, Pátria Amada?
Educação?
Transposição?
Mãos limpas em águas cristalinas?
Compartilhamos o osso roído por dentes vorazes,
bocas loquazes
insensíveis ao espelho das tuas riquezas.
Ó Nação Brasileira,
a jato foram-se as reservas de tuas grandezas.
“Pré-salgaram” teu mar de forma contundente!
Não foram suficientes as carnes de Tiradentes?
Acorda do teu sono e vai à luta,
ampara o teu povo que madruga
nas filas dos empregos e hospitais.
Reacende a chama impávida,
deixa cair a máscara que te impuseram!
Revela-te nitidamente aos teus filhos gentis
impostando a voz da liberdade!
Desduda-te e entrega-te a quem te ama de verdade!
 
rosangelaSgoldoni
07 04 2015

 
rosangelaSgoldoni
Enviado por rosangelaSgoldoni em 10/04/2015
Alterado em 10/04/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr